Thursday, January 22, 2009

The teachers strike in Portugal

An Expat's point of view with which I tend to sympathize...

3 comments:

Peter said...

About schools and about strikes you can talk for hours!

Our president (or his govenrment) has tried to impose a minimum service in schools, meaning that even in case of strike the kids should always be taken care of, surveyed. However, it doesn't work, at least not yet. Will it ever?

I'm the grandpa who can jump in (mostly)!

Anonymous said...

Por amor de Deus! Estive a ler a dita opinião. É, no essencial, ridicula. Vejamos, tinhas consulta no pediatra com as miudas. Havia greve de médicos. Telefonavam-te para casa a avisar? Ou telefonavas tu para saber? Na minha escola foi isso que aconteceu. Os pais telefonaram. Imformaram-se antes. Mas parece que para aquela senhora isso nem lhe passou pela cabeça...
Não em onde deixar os filhos, bom isso percebo, mas não há lutas sem feridos, infelizmente. Este ano houve grandes nevões em Portugal. Situação anómala que obrigou a cortes de estrada e escolas fechadas. O que fizeram os pais? Suponho que foram refilar com S. Pedro...Não arrajaram estratégias para minimizar o impacto da situação. 1 pai ou 1 mãe pode tomar conta de várias crianças. 2 chegam para tomar conta de uma tuma inteira. Mas ninguém está para se incomodar e planear uma estratégia e, caso de necessidade. Há muita gente com dinheiro suficiente para por os filhos em escolas privadas. Eu, por exemplo, se quisesse não tinha. Portanto, nós povinho que temos que contar com a escola publica precisamos que essencialmente tenha qualidade. Este governo está a matar a escola publica. Eu luto contra isso. E a maioria dos professores que conheço também. Faço e farei quantas greves foram necessárias se isso significar que o ensino melhora. É pena que não percebam que essa devia ser a luta de todos (professores, pais e alunos) em vez de criticarem os professores por lutarem por uma escola melhor para servir os filhos de todos.
PS -Sinceramente que sabe realmente do que está a falar? Alguém leu o Decreto Regulamentar 2/2008 e todos os despachos subsequentes? Ou falam por falar sem conhecimento real da questão?

A ESCOLA PÚBLICA MERECE SER SALVA. MERECE O NOSSO SACRIFICIO. MERECE O NOSSO RESPEITO. UMA ESCOLA MELHOR IMPLICA UM FUTURO MELHOR.

Claudia said...

Tecas,

Não fiques aborrecida e não consideres o meu post uma afronta. Não posso nem devo tomar partido nesta questão até porque não estou aí. Neste caso concreto, no entanto, face à situação descrita por uma mãe que está numa situação parecida com a minha mas em Portugal, identifico-me sem sombra de dúvida muitíssimo mais com o que ela pensa do que com aquilo que os manifestantes possam ter pensado nesse dia. Mais uma vez, não quero - e não vou - generalizar nem olhar para a questão em termos dos princípios e direitos que estão em causa, que são complexos e não deviam ser objecto de demagogia.

Mbjs